O empório mágico e sobrenatural de Mestre Lysander e da Senhora Amber

O mago filho do comerciante de peles

Lysander Grith nasceu em Sharn, filho de um próspero comerciante de peles da região. Com dez anos ele só não era um dos mais aplicados alunos da escola de seu bairro, como também um proeminente comerciante. Os caminhos do destino, no entanto, o levaram a ter aulas particulares com um professor mago, que tinha uma dívida com seu pai.

Lysander apaixonou-se por magia e implorou a seu pai por uma chance de estudar na grande academia arcana do mestre Xantipa.

– “Ora e por que não meu querido filho? – respondeu alegremente o seu pai – Se meu pai não tivesse respeitado o meu desejo de ser comerciante, ainda estaria ordenhando vacas em Langley. Arrume suas coisas. Você vai ser um mago”.

Os anos de estudo foram longos e penosos. Não que Lysander tivesse qualquer problema em assimilar as teorias propostas: era com Xantipa que jovem se indispunha com mais freqüência. Ele chegou às raias de ser expulso uma vez, não fosse a intervenção de um dos professores.

Próximo de concluir o seu curso de magia, uma triste notícia foi dada a Lysander: seu pai for morto por bandoleiros goblins quando voltava das montanhas enevadas com uma carga de couro. Ele ausentou-se da Academia para tratar dos assuntos de herança e descobriu que as finanças de seu pai não iam nada bem. Após saudar todas as dívidas Lysander não tinha o bastante em recursos para retornar à Academia, pelo menos não o bastante para terminar o curso. Pensou em dedicar-se ao comércio a fim de angariar esses fundos, mas como passou importantes anos de sua vida dentro dos muros da academia, nada sabia sobre os contatos do pai, fora dela. Restava-lhe amargar algum serviço de menor escala enquanto pensava no que fazer ou até que surgisse uma nova oportunidade. Foi que esta lhe surgiu.

Ele trabalhava como distribuidor de uma vinícola local nas tavernas quando foi abordado por um homem que sabia a sua história – na verdade uma história facilmente conhecida uma vez que Lysander jamais deixava escapar uma única oportunidade de contá-la – e queria fazer-lhe um acordo. Segundo o homem, um elfo de meia idade, falante e bem vestido, sua irmã a muito seqüestrada foi vendida para Eldeen Reaches como escrava e ele tinha de ir salvá-la. Mas não poderia ir porque não tinha os recursos para tanto. Ele tinha sim posses: um hotel de luxo, com quatro andares, na cidade de Quesk e uma mina de prata e cobre a pouco mais de uma hora distante do centro da cidade. Ele trocaria tudo aquilo, alegremente, pelo dinheiro que Lysander possuía.

Era uma oportunidade única. Não poderia deixar passar. Lysander ainda agiu como um verdadeiro comerciante reservando para si mesmo 300 moedas de ouro que serviriam para a sua viagem até Quesk. Ele também teve o cuidado de checar junto aos órgãos públicos se os documentos eram de valor. E eram. Ele não teve dúvidas, pagou ao elfo e partiu rumo a Quesk.

Nem tudo é o que parece

Ao chegar finalmente à Quesk foi que Lysander descobriu ter sido lesado. Ele havia realmente comprado um hotel de luxo: o “Cornocópia do Inverno”, de quatro andares e área de quase um quarteirão de diâmetro – queimado até o chão por um incêndio no inverno do ano passado.

A mina sem dúvida era de prata e cobre e estava abandonada, por falta de veios naturais. A mina deveria ter mais de 300 anos e a julgar pelas escavações que encontrou ele não foi o único a “ter feito um ótimo negócio com aquelas terras”.

Como se não bastasse tanto o hotel, como a mina deviam pesadas taxas de impostos à cidade – o que consumiu quase todo o dinheiro que ele trouxe consigo. Ele acabou vendendo parte de seu quarteirão, ficando apenas com um espaço pequeno numa rua lateral enquanto lojas e quitandas se erguiam. Na fazenda ele passou a cultivar pequenas hortas apenas para não passar fome. O que ele conseguia de fartura ele trocava por outros na fazenda vizinha, cujos os donos também tinham sido enganados pelo elfo de meia idade, falante e bem vestido.

Wathur e Mardigan Wallo eram fazendeiros trazidos ali com a promessa das abundantes frutas de inverno e foram “agraciados” com um chão rochoso e de terra fraca. Mal tinham o que vender na feira da cidade. Eles também tinham uma linda filha, Amber, que logo se apaixonou por Lysander.

Com menos de três anos morando em Quesk os dois casaram e abriram uma pequena loja de variedades no centro, no terreno que ainda pertencia a Lysander. Foi num dia que a sorte deles mudou.

E a idéia veio com um mago

Uma expedição do Protetorado do Povo tinha de passar pela vila a fim de reabastecer-se de mantimentos e curar seus doentes. O mago do grupo, o famoso Asterion da Universidade de Morgraive, precisava de componentes materiais para seus feitiços – coisa que loja alguma da cidade conseguiu. Até que ele bateu à porta loja de Lysander. O jovem reconheceu de pronto o membro do Protetorado e fez de tudo para lhe arrancar alguns trocados. Quando soube do problema do mago, pediu-lhe uma lista completa, com a promessa que faria tudo o que estivesse a seu alcance. Não tendo outra alternativa, Asterion resolveu aceitar e deu 24 horas para que o jovem comerciante realizasse seu intento.

Lysander mobilizou toda a família e os poucos amigos que arregimentou ao longo dos anos na busca pelos itens, que embora não fossem muitos eram estranhos à primeira vista; especialmente para quem não fez a Academia de magias e nem tinha idéia de o que se poderia fazer com aquelas tranqueiras: guano, aranhas vivas, pele de cabra, couro curtido benzido por um clérigo, pó de areia colorida, pó de ferro, pena de galinha, entre outros.

Depois de quase 24 horas de busca incessante todos os itens da lista foram conseguidos. Asterion da Universidade de Morgraive ficou satisfeitíssimo e prometeu fazer propaganda da pequena loja para todos os magos que conhecesse. Não tardou muito outra caravana veio à cidade e o número de encomendas triplicou. Quem diria que uma coisa simples como vender componentes de magia pudesse dar tão certo e ser tão lucrativo?

Passados 20 anos, Lysander é uma figura conhecida na cidade como um comerciante honesto, porém ambicioso. Não chega a ser rico, como um dia seu pai já foi, mas pode se dar a certos luxos como, o de uma vez por ano, visitar a cidade de Cidade de Sharn com a família. Ele patrocinou ainda os estudos de sua querida Amber na Academia arcana. Seu filho mais velho, Trovald, de 13 anos já é seu aprendiz e ajuda com a loja. No entanto sua filha mais nova, Jarissa, de 12 anos quer entrar a todo custo na vida de aventureiro e treina diariamente com um soldado da milícia de Quesk, com o mais amplo dos consentimentos do pai. Quando perguntado a respeito da conduta que tem com sua filha ele responde alegremente: Se meu pai não tivesse respeitado o meu desejo de ser um mago, eu seria mais um cadáver sem nome nas estradas quem vem das montanhas enevadas. Deixe que a menina viva a vida dela. Ela vai ser um guerreira”.

Com o passar dos anos Lysander descobriu o poder dos nomes e das reputações e tratou de forjar para si o de um mago poderoso e misterioso. Mudou no nome de sua loja de “Empório Grith” para “Empório Mágico e Sobrenatural de Mestre Lysander e da Senhora Amber“. Dizem que mesmo a contragosto, a própria Academia Arcana de Sharn é uma compradora de seus produtos.

Hoje em dia no Empório pode-se encontrar desde cópias de livros de magia, livros de ocultismo e de estratégia militar, romances, poções, componentes diversos, emplastros de cura, amuletos de boa sorte, entre outros. O lema é: se não tenho, posso conseguir ou dou o seu dinheiro de volta.

Para efeitos de jogo a Loja pode conseguir qualquer componente material para feitiços listados no “Livro do Jogador de D&D” até o 10o. Círculo de Magias.

Mestre Lysander Grith

Lysander é um homem jovem e bem cuidado, beirando a casa dos quarenta anos. Cabelos curtos e tratados, olhos claros e ágeis, boca com lábios finos e bem dispostos. Sempre se veste de maneira espalhafatosa, com calças coloridas e botas estranhas, chapéus pontudos e mantos cobertos com bugigangas brilhantes e coloridas. É um comerciante honesto e cria seus filhos como acha que deve ser feito.

Senhora Amber

Amber Grith Wallo é uma mulher jovem, com dois filhos. Loira, um pouco magra para uma mulher que teve dois filhos e de olhos lindamente verdes. Não é tão ambiciosa quanto o marido e com certeza se veste de maneira mais sóbria, com um manto verde claro, um vestido cor de creme e sandálias de couro compradas em Nova Roma. Se ela não é tão ambiciosa como marido, nutre por ele uma afeição sem fim.

Anúncios

1 comentário (+adicionar seu?)

  1. rsemente
    nov 16, 2008 @ 21:01:40

    História bem detalhada, e cativante. Lembrou em “pequena escala” o mercadod e eldora, que vendia itens mágicos com vendedore ambulantes!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: