Nunca mais fique sem idéias.

Um guia mais ou menos prático para roubar idéias e se dar bem.

 

Hoje estava fuçando numa pilha de pastas velhas quando encontrei anotações da primeira aventura de RPG escrita que eu bolei na vida. Eu tinha impresso numa matricial que eu tinha, zuadenta como o diabo e sabe deus porque eu resolvi guardar. Engraçado que minha primeira aventura ‘escrita’ não foi para fantasia medieval, apesar de ter começado a jogar com o gênero. Para falar a verdade eu nunca fui de planejar aventuras para além de um título ou meia dúzia de informações anotadas em qualquer lugar ou simplesmente “decoradas”. Por isso a surpresa de ter essa antiguidade ainda guardada e parcialmente conservada – a quem interessar era um aventura para vampiro a máscara que eu escrevi em 1993.

Mas o que me chama mais atenção nela é a quantidade absurda de referências que eu faço ás mídias pop, nerd e geek (pai dos dados, o termo geek nem deveria existir naquele tempo). Um cara com um pouco mais de discernimento pode identificar dezenas de filmes ali jogados e colados num pastiche interessante e muito divertido. A história era básica: um vampiro, cria do príncipe, mas concebido sem autorização da primigene, havia sido capturado por uma empresa humana (não, não era a Pentex) que o estava dissecando em busca de explicações científicas e lucrativas para a sua regeneração espantosa e para sua eterna beleza. A missão dos jogadores? Descobrir o paradeiro da praga do moleque, salvá-lo e quem mais estivesse com ele, proteger a máscara. Até esse momento os jogadores não sabiam nada da BioLabs, não sabiam da condição do moleque e não sabiam que dois elders que queriam o trono estavam de olho neles.

E o que isso tem a ver com o post? É que mesmo usando referencias claras do mundo real como o nome Z-TEC (um novo tipo de motor que era moda nos carros da época) os jogadores não perceberam ou se perceberam não deram bola e se divertiram à valer com as idéias roubadas e coladas de forma aleatória. Cacete, teve até uma participação especial de Egg Shen de “Aventureiros do bairro proibido”. O que significa é que se você leu revistas em quadrinhos, leu livros, viu filmes ou DVDs você nunca mais ficará sem idéias para aventuras. É só ir jogando temas. De certa empreitada eu não tinha mais idéias para a minha crônica de Lobisomem. O que eu fiz? Coloquei ninjas! De outra não tinha idéias para desenrolar uma aventura de AD&D. O que eu fiz? Adicionei um mensageiro perseguido por ninjas e uma mansão – igualzinha a do PC game Alone in the Dark. E a minha aventura de GURPS Supers? Ninjas com um robô samurai gigante destruindo Nova Iorque.

Não se sinta triste ou culpado por roubar idéias. As melhores idéias já foram pensadas e executas mais vezes do que você usou o banheiro. Apenas garanta que você e o seu grupo se divirtam. O resto, é como diz a música: é o que restou – e não me importa.

Anúncios

9 Comentários (+adicionar seu?)

  1. formiga
    mar 10, 2009 @ 05:18:04

    É exatamente o que eu faço, todas as minhas aventuras são baseadas em HQs, ou livros. Livros nem tanto, por que a maioria dos livros que eu li o meu grupo tbm leu.
    É melhro causar uma surpresa.

  2. Mirallatos
    mar 10, 2009 @ 10:29:06

    Concordo plenamente. Como mestre e publicitário, digo que buscar referências é melhor saída para apresentar soluções criativas.

    Eu busco referência em seriados, games e quadrinhos também, como tu pôde ver no meu post lá do dadomestre.

    Grande abraço!

  3. rsemente
    mar 10, 2009 @ 12:38:57

    Voce realmente usou ninjas contra lobsomens, ou foi só uma idéia aleatórea?

    No mais a tarefa de utilizar um tema de uma midia na moda para o RPG é bem comum :) e na maioria das vezes é encontrado no porprios livros basicos.

  4. valberto
    mar 10, 2009 @ 14:14:52

    Sim, eu usei ninjas, com capuz, shurikens, espadas e tudo mais contra Lupinos-jogadores.

  5. rsemente
    mar 10, 2009 @ 14:28:56

    deve ter sido demais a cara dos jogadores quando ninjas os atacaram! hehehee

  6. Nerdcore
    mar 10, 2009 @ 16:45:51

    Roubar conceito eh sempre bom, mas eh fundamental adicionar o toque de genialidade do mestre para deixar a aventura autêntica

  7. Ágatha Guedes
    mar 10, 2009 @ 16:51:07

    Eu acho muito interessante a idéia de “roubar” conceitos sem que ninguém perceba. O Objetivo final é mesmo a diversão, se todos vão se divertir lutando contra ninjas dentuços do bairro do limoeiro, que seja então.

  8. Trackback: Adrenalina Rpg - No Mercy!
  9. d.darkangellus
    mar 11, 2009 @ 02:49:18

    Gostei muito do artigo.Pessoalmente,emprego diversos conceitos que são influênciados por vários temas e acredito que seja uma boa idéia,inclusive até postei um contra-post sobre o artigo do valberto em meu Blog.

    Abrçs e Bons Jogos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: