Precisamos de um líder que funcione.

 

Eu não sei quanto a vocês, mas eu gosto de quadrinhos desde sempre. Hoje eu tenho pouco tempo e dinheiro para acompanhar as reviravoltas dos meus heróis favoritos, mas antigamente eu não perdia um quadrinho sequer. E eu lia quase sempre Marvel. Gostava especialmente dos Vingadores. Individualmente eles são os maiores heróis da terra, mas juntos, eles são invencíveis. A chamada, um pouco piegas, vinha numa edição de quadrinhos da Marvel no começo dos anos noventa e falava justamente da reunião dos Vingadores, numa de suas formações mais clássicas: Capitão América, Thor, Homem de Ferro, Gavião Arqueiro, Homem Formiga e Vespa.

Jogando Mutantes e Malfeitores hoje eu me vi com inveja dos Vingadores. Meus jogadores têm muito mais poder que Capitão América, Thor, Homem de Ferro, Gavião Arqueiro, Homem Formiga ou a Vespa. Na verdade, tirando o Thor, eles não teriam muita dificuldade para dar cabo de cada um dos vingadores sozinhos. E isso porque estão apenas com NP 9! Mas fico pensando como eles se sairiam contra a equipe como ela trabalhava nos quadrinhos. Daí vem a pergunta: o que fazia dos vingadores “os maiores heróis da terra”? Numa resposta apenas: o Capitão América.

Calma, antes de me chamar de paga pau do tio Sam. Não me refiro ao Capitão América como o símbolo da América e sim com o papel que ele desenvolve nas equipes que participa. Ele é o líder perfeito, capaz de extrair o melhor dos seus e de conseguir a vitória a despeito de todos os desafios. Foi assim em incontáveis quadrinhos. Eu acredito, inclusive que o velho Cap. poderia levar qualquer equipe à vitória.

E é disso que eu sinto falta na minha mesa. Alguém que torne aqueles mutantes “na maior equipe de heróis do mundo”. Ou que pelo menos, faça com que eles ajam em equipe. Porque eles são muitas coisas, mas agem pouco, ou quase nada como equipe. E sinto falta disso, sabe? Eu achava que conseguiria mais cooperação deles com um jogo de supers, onde um pode salvar a pele dos outros, mas não é bem isso que tenho recebido. Já dei alguns toques no jogo como na sala de perigo e na missão de hoje, contra Bolivar Trask e seu protótipo de Sentinela Mark-2.

Não vou colocar nenhum NPC para isso. Existem outras formas de “mostrar” o quanto o trabalho de equipe, com cada um cuidando das costas um do outro faz a diferença. Hoje eles viram isso quando Boreal (Suca) e Phanton (Hypa) combinaram suas habilidades para fugir de uma prisão: Phantom ficou intangível, junto com Boreal, enquanto os soldados atiravam. Quando paravam para recarregar foram colhidos pela rajada de gelo de Boreal. Lindo. Uma manobra show. Dica do mestre, mas ainda assim show. Outro momento foi quando Marreta salvou LuckShot de um fosso de elevador que estava explodindo. É disso que eu gosto: de trabalho em equipe. É por isso que eu gosto tanto do Cap.

Eles já enfrentaram o Hulk, a Hydra e agora experimentaram a ameaça dos Sentinelas de Bolivar Trask. O que vem a seguir? Que perigos eles vão encontrar? Uma dica: o Massacre de Mutantes está vindo!

 

 

Anúncios

9 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Jaime Daniel
    abr 27, 2009 @ 04:25:29

    Putz, tenho o mesmo problema com os meus jogadores…

  2. d.darkangellus
    abr 27, 2009 @ 05:23:58

    Apesar de achar o Capitão América “meio gay” ,reconheço que a liderança dele faz diferença.

    Abrçs e Bons Jogos.

  3. FenrirX
    abr 27, 2009 @ 14:03:05

    Creio que esse seja o problema de muitos grupos: não abaixar a cabeça para as decisões de um só indivíduo… Em todos os meus jogos, sempre procuro eleger “institivamente” um líder, mas eles nunca elegem alguém para isso…

  4. shingowatanabe
    abr 27, 2009 @ 15:32:47

    No meu grupo todos querem ser lideres, o que leva a uma discussão infindavel sempre que eles desejam bolar um plano para fazer qualquer coisa.

    Abraços,

  5. Ágatha Guedes
    abr 28, 2009 @ 14:39:05

    Concordo que o Capitão América é um bom líder, o problema é esse que o FenrirX citou. Os líderes jogadores querem abusar de seu poder de líder, enquanto os “subordinados” querem bater de frente com o líder só para dizer “Viu, não abaixo a cabeça para você”, aí você tem uma guerra de egos infindável. Embora em minhas campanhas sempre temos bons jogadores como líder, embora sejam bons jogadores, nem sempre são bons líderes.

  6. rsemente
    abr 29, 2009 @ 03:41:23

    Nessa hora eu lembrei a porra do Power Ranger SPD, onde o cara que quiz ser lider toda sua vida (pois seu pai era Rager Vermelho) ficou pra ranger azul. Em um certo episodio ele virou lider (mesmo ainda sendo azul) e era mandão, abusava um pouco do poder, etc… Niguem o respeitu.
    Ai entrou o ranger vermelo da série, que era respeitado porque ajudava os amigos e tal (quase um clérigo).
    No final o Ranger Azul aprendeu a respeitar os outros e virou ranger vermelho.

    Saindo da lenga lenga de Power Rangers, o que você pode fazer valberto é decidir por um jogador que ele será o lider (ou fazer uma competição para isso). E ensinar via um NPC (Xavier) como é que ser um lider, dando lição de moral, colocando o peso da responsabilidade nos ombros do jogador. Dizer quais as atitudes deles…

    É isso que eu acho.

  7. Matheus
    abr 29, 2009 @ 03:58:39

    Aew grande valberto!
    Acho que sempre fui privilegiado pq nos grupos que participei liderança era algo muito tranquilo. Sempre tinha um cara que se sobressaia mais e dizia “eu vou por aki” e a galera ia atrás.
    Mas isso é uma coisa q se constrói com o tempo – tanto no on qnto o off do jogo. Como é comum jogadores repetirem um certo padrão em seus personagens, era tb comum os papéis serem os mesmos: O líder, o curandeiro, o mago, o sniper, o bate-estaca… etc.

    Ocasionais guerras de ego existiam e isso realmente dificultava o jogo, mas tb são de grande potencial interpretativo. A questão é q em quadrinhos e filmes tudo dá muito certo pq as histórias são fabricadas pra chegarem a um ceryo final né? é tudo mais controlado… em RPG a banda toca de outro modo… n dá pra prever as ações dos jogadores o tempo todo por mais que se conheça eles.

    Acho q vc já trilhou um ótimo caminho: eles apanharam feito massa de pão do Hulk pq agiram sozinhos, já tiveram treinamentos na sala de perigo e viram vilões agindo juntos e superando-os. Mas o fator tempo tb pesa um bocado… acho q era legal como o colega aí em cima disse, alguém dar um “acorda” neles, colocando um deles como o capitão do time e trabalhando as situações a partir daí (revoltas, autoritarismo, acertos… etc). Outra coisa é investir na idéia “vilões se unem e são muito fortes; ou a gente se une ou tá lascado” heuheuh

    falow!
    boa sorte aí!
    fica com Deus!
    té +!
    Math

  8. Gilson
    abr 30, 2009 @ 21:50:36

    Sugestão de série de matérias: como determinadas coisas funcionam em alguns sistemas, como magia, poderes, perícias.

    Nas magias, por exemplo, em alguns sistemas ela é automática em outros é uma perícia. Em uns gasta alguma coisa, em outros o corpo e em outros nada.

    Gilson

  9. valberto
    maio 02, 2009 @ 00:07:22

    Cara, eu até que gostaria de por em prática essa sua sugestão, mas estou sem tempo mesmo. Depois de corrigir as provas vou ver o que eu consigo. Agradecido, AMIGO.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: