O personagem também faz parte do cenário

Transforme o cenário em motivações para o seu personagem

Acho engraçado que a maioria dos jogadores que eu conheço encare o cenário como um mero pano de fundo ou uma “desculpa conveniente” para que os personagens saiam por aí arrebentando “as fuças” de qualquer coisa que apareça pelo caminho. Para este tipo de jogador as tramas, os acontecimentos recentes, os boatos são apenas uma coisa: dicas para levar o personagem a mais desafios e assim dicas para deixar o personagem mais poderoso.

Os que pensam dessa forma quase sempre têm o mesmo background. “Ah, sou um [coloque aqui sua classe] órfão e sem família que segue pelo mundo em busca de aventuras”. Quantas vezes eu não ouvi isso como um pastiche mal colado para a história do personagem? O fato é que se o jogador desejar ele pode usar a história do cenário a seu favor.

Imagine que você está num cenário que acabou de emergir de uma grande guerra, como é o caso de Eberron, por exemplo. Você pode usar essa informação a seu favor. “Eu era apenas um recruta quando a guerra começou e hoje, com o meu antigo exército desmantelado, estou tentando voltar para casa”. Um background bem mais elaborado e com possibilidades bem abertas: para que lado fica a vila do personagem? Seus parentes ainda estão vivos? Se sim, ainda vivem na vila? Se não, quem os matou? A vila ainda está lá? O caminho é longo? Caro? De que lado da guerra a vila ficou? Houve lá uma revolta? O personagem deixou algum grande amor ou amizade por lá?

Um amigo meu, fã de assassins creed vai começar uma campanha de Tormenta e seu personagem é uma versão halfling de Ezio Auditore de Firenze! Com sua família morta por nobres tapistanos ele busca vingança contra seus algozes. Mas espera aí: onde é que este cara é diferente do “Ah, sou um ladino halfling órfão e sem família que segue pelo mundo em busca de aventuras”? No conceito. Ele vai ter o que odiar e objetivos bem específicos. Ele dificilmente se uniria outro personagem que fosse minotauro. Imagine a tensão se houver um na mesa. Imagine que ele descobre que sua mãe e sua irmã estão sendo mantidas como escravas de um nobre na cidade de [ponha aqui o nome da cidade – de preferência longe para cacete].

Quando você é capaz de usar a história do mundo a seu favor o seu personagem parece mais integrado ele será. Mais parte do cenário você será e mais vantagens você terá. Não parecerá forçado você dizer: “como é mesmo o nome desta vila? Ah eu tinha um companheiro de armas que disse ter nascido aqui. Quem sabe podemos encontrar abrigo na casa de seus pais?”

Anúncios

2 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Arquimago
    ago 27, 2010 @ 10:04:25

    Realmente.

  2. Francisco Martellini
    ago 29, 2010 @ 10:58:12

    Um problema muito interessante que você levantou. Vejo isso em meu grupo de jogo algumas vezes; vou indicar para eles lerem!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: