O flagelo dos mundos no seu mundo de RPG!

Política nos mundos RPG

Imagine que você esta caminhando tranquilamente pela sua cidade sombria no mundo das trevas quando um transeunte qualquer te entrega um santinho de candidato a vereador. De repente você é acordado em plana madrugada por um carro pedindo que você vote em Rommer Sympson para o senado. Acautele-se amigo jogador… o pior de todos os males chegou a seu mundo de RPG: a política.

Política não. Políticos. A política segundo os gregos é a mesma coisa que a ética, só que na vida pública. São os políticos, que em sua maioria não são nada éticos, que fodem com a vida de todo mundo e transformam um sinônimo de ética em sinônimo de putaria. Então, não é a política que vai foder com o seu cenário de RPG: são os políticos.

Inserir políticos nos mundos de RPG é mais simples com cenários modernosos. Cenários em que as formas de organização política se fazem de forma democrática ou que existem pelo menos grupos rivais em busca de poder. Em grupos rivais não leia partidos políticos. Assim como os políticos que neles abundam os partidos perderam sua identidade a muito tempo e servem apenas como pano de fundo para que se justifique o tempo deste ou daquele candidato em frente a TV.

Políticos então são apenas desculpas para fatos que ocorrem no jogo. O príncipe da cidade que quer manipular as eleições para eleger uma de suas crias, ou o supervilão que esta ajudando a eleger um prefeito para desacreditar a força policial ou mesmo disputas de candidatos em bairros onde os personagens vivem. A política absorve muito da vida das pessoas. Daí para se ter propinas, dossiês, desvios de verbas, abuso de poder econômico ou político é mesmo um pulo. Imagine que se, no lugar de invadirem os registros da receita federal da Marina Serra fossem invadidos os registros governamentais que lidam com quem tem superpoderes. Estrago feito, amigo!

Em jogos medievais as coisas não são menos selvagens. O fato é que eles são menos sutis. Se quero o cargo do outro, tudo o que tenho que fazer é usurpar esse cargo. Livros clássicos, como o Príncipe de Nicolau Maquiavel estão cheios de dicas para se manter um principado: inverta-as e você terá dicas para tomar um principado. E daí vale tudo: incendiar o castelo do rival (como no caso do Águia Negra, 1953), envenenar, casar com alguém, jogar a igreja contra o dito cujo… os casos são infinitos.

Existem até cenários – imagine você, cenários!  – que lidam com o tema, como é o caso do Principia Discordia da daemon (sei que é um romance, mas dá uma boa idéia) ou o Birthright de AD&D, e até mesmo um suplemento de Shadowrun em que um dragão era eleito presidente dos EUA!

Inclusive, não posso esquecer de uma campanha mestrada por um amigo que transpunha muita coisa do mundo moderno para o seu mundo de fantasia: tivemos de enfrentar trabalhadores sem terra, manipulador por um guerreiro vermelho que posava de líder messiânico, tivemos que escoltar a filha do rei em segurança para que ela pudesse casar (escoltamos ok, mas ela foi morta por um mago-franco atirador quando saía de carruagem pelas ruas de Dallas para saudar seus súditos). E no final descobrimos que o grande culpado era o nosso patrono, um delicado e meio fresco duque bonachão que na verdade era um cara inescrupuloso e maligno!

O nosso horário aqui acabou, mas tenho certeza que todos entenderam onde quero chegar com tudo isso. Até a próxima e lembrem-se de votar em mim para Mestre Supremo do Universo. Não que o voto de vocês importe, mas eu apreciaria a educação.

Anúncios

4 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Arquimago
    set 06, 2010 @ 21:08:47

    Entendemos, sim, voto?! Cadê a urna, rsrsrsrs

  2. Francisco Martellini
    set 07, 2010 @ 10:12:09

    Muito bom! Gostei do texto e das idéias.

    E eu voto em você se me garantir um cargo no seu governo Mundial! :P

  3. rsemente
    set 07, 2010 @ 11:01:19

    Muito foda valberto.

    Uma campanha épica em um cenário assim seria a existencia de um politico honesto como personagem jogador!!!

    Hahuiahuauhah

  4. Francisco Martellini
    set 07, 2010 @ 12:19:21

    Acho que devemos fazer a ficha dos NPCs, começando pelo Maluf!

    Atributos principais:

    Cara de pau: 550 pts
    Enrolation: 1550 pts

    :P

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: