A síndrome do superblog

Os superblogs

 

Alguns anos atrás – mais ou menos por volta de 2007-2008 – os portais de RPG começaram a perder o fôlego. Antes disso as listas de discussão já tinham deixado de serem os hotspots da net e uma nova forma de se pensar a comunicação entre leitor e escritor estava sendo forjada: os blogs pessoais de RPG.

Não me entenda mal: páginas pessoais de RPG sempre existiram. Mas era sempre aquela coisa feita por alguém que entendia a linguagem de internet. Não era acessível a todo mundo que tivesse uma idéia na cabeça, um teclado e uma conexão à internet. Daí porque os blogs representaram um salto qualitativo de RPG. Era uma espécie de democratização tecnológica dos meios de comunicação.

Pouco depois do surgimento dos blogs no Brasil veio a idéia de se criarem os superblogs. O que é um superblog? É a fusão, meio à moda de Dragon Ball, de vários blogs menores, reunindo seus autores para criar conteúdo bacana de forma diária. Um dos primeiros blogs deste modelo que eu vi foi o paragons.

Um superblog é um problema de economia. Você troca 4 a 6 blogs bacanas e independentes para ter um megablog-fodônico que acabava ficando tão engessado quanto um portal.

O problema de manter um superblog é que você precisa de pessoas dispostas a trabalharem nele sempre. E sempre significa sempre. Quando você tem apenas o seu blog comum, com seu range de 20-60 visitas por dia, você pode se dar ao luxo de ter uma crise criativa e passar dias sem postar. Se você já tem um blog, sabe que pode chamar esta “crise criativa” de vida real: casamentos, mestrados, faculdades, relacionamentos, trabalhos… enfim, manter um superblog não é uma missão para meia dúzia de almas bem intencionadas. Exige bem mais do que boa intenção. Exige dedicação quase sacerdotal.

É por isso que cedo ou tarde o superblog vai exigir mais do que o bloguieiro está disposto a pagar. E daí o que acontece? Passam-se as tochas adiante, como é o caso do paragons, onde dois ou mais de seus membros fundadores se aposentaram – mesmo depois da incrível marca de mais de um milhão de pageviews (não se o que é, mas soa muito impressionante).

O que posso dizer? Que continuo achando o superblog um mal negócio. Você deixa de lado 4-6 blogs para fazer um blog foda e depois de um curto período de tempo você esgota os membros, como foi o caso descrito acima.

Minha opinião é uma só, neste caso: se você tem um blog, fique com ele e não se deixe levar pela ilusão da visibilidade. A não ser que o seu trabalho seja pago, ou que você seja o dono do seu espaço, não vale a pena bancar a turbina para ninguém.

 

6 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Jaime Daniel
    abr 07, 2011 @ 21:19:17

    Também é o meu pensamento, Betão! mesmo quando estou colaborando com outros, não largo as minhas postagenzinhas bissextas que dois ou três lêem.

    abçs

  2. ellayne
    abr 07, 2011 @ 22:06:03

    concordo com teus argumentos. Para quem tem um blog por amor ao hobby, não é negócio ficar fazendo das tripas coração pra mantê-lo freneticamente atualizado. Blog não é trabalho…a não ser que vc tenha 50 mil visitas por mês que te gerem receita ou algo assim. Obviamente não é o caso de 99,99% dos blogs de rpg.

    espero que o Paragons sobreviva as baixas…

  3. rsemente
    abr 08, 2011 @ 18:48:40

    O que acho mais estranho foi a saida em massa dos fundadores!
    Até parece que alguma coisa que eles planejavam não aconteceu de forma esperada, ou que o sucesso do Old Dragon possa de alguma forma ter pertubado os outros membros fundadores (nem eu acredito nisso, mas olhando de fora e buscando uma resposta nas entrelinhas essa é uma possibilidade).
    Mas é provavel que seja a “vida cobrando sua dívida”.

  4. alvaro o bardo
    abr 10, 2011 @ 01:10:37

    acho que vc tá certo e mesmo querendo colaborar com o paragons eu nunca deixarei de lado meu blog o falando de rpg que alias tá precisando de umas visitinhas eheheeh valeu e ficou super legal na nova cara do blog, vou passar mais por aqui meu tempo ficou mais curto :P

  5. Tio Lipe
    abr 12, 2011 @ 11:22:39

    Olá!
    Tá aí Betão, me deixou com vontade de ter um canto só meu de novo e já o fiz. Pelo menos assim eu sei que, se quiser postar qualquer coisa sobre RPG, terei este meu espaço. Brigado.

    Até and Bye…

  6. Alexandre
    abr 13, 2011 @ 15:26:47

    Não conhecia este blog até meu velho amigo Aislan indicar esse texto e posso dizer que concordo em partes. Manter um portal ou um superblog é um baita de um trabalho sim, mas deve ser prazeroso. Prazer maior ainda seria se eu pudesse recompensar o esforço de meus colaboradores, mas isto ainda é impossível na blogosfera, a não ser que eu crie um blog a parte, cheio de adsenses e ganhe com isso. Foi assim que algum dos maiores blogs de hoje cresceram e ganham uma boa nota por mes, mas também, escrevem muito e sobre tudo.

    Quando pensei em entrar na onda do blog de rpg, nunca o fiz para ter visibilidade na blogosfera ou muito menos para ser recompensado. O fiz pensando para ser um lugar onde eu pudesse colocar minhas idéias e nunca esquecer, ou então daqui 1, 5 ou 10 anos voltar e ver o que escrevi. Compartilhar as idéias é apenas consequencia.

    Abraço!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: