Sugerindo Bestiários

Algumas ideias de Bestiário que eu gostaria de ver implementado.

Ok, chega de falar de bestiário. Parece que ando com a cabeça no mundo dos monstros. Mas tem uma coisa que eu ainda quero dizer sobre o assunto. Uma lista curtinha de algumas coisas que eu gostaria de ver em bestiários nacionais.

1 – Bestiários Temáticos:

Ok, a idéia não é nova e já temos esse tipo de coisa desde os fantásticos Van Richten’s Guides, mas eu nunca vi algo deste tipo em Terra Brasilis. Seria muito interessante ver vários mini-guias temáticos. Vi alguma coisa neste sentido quando a Daemon lançou o Guia de Dragões e a Devir lançou o Draconomicon, mas ficou, infelizmente, só nisso. Por isso, editoras de RPG, que tal vários livretos de monstros, capa mole, 64 páginas esmiuçando um dos vários tipos de monstros existentes? Mortos-vivos ou mesmo um bestiário oriental seria uma boa para começar.

2 – Diagramação diferente do comum:

Vamos inovar NE galera? O Livro dos Monstros já tem quase dez anos. Tá na hora de colocar um pouco de design, no design de livros de RPG…

3 – Guia de plantas:

Ok, não estou surtando ainda, e talvez nem sequer haja mercado para este tipo de coisa, mas eu gostaria de ver um guia de plantas fantásticas. Plantas com habilidades especiais como as vistas em alguns jogos como Final Fantasy Tactics: pena de fênix, beijo de donzela, lágrima da deusa, entre outras… seriam focos bem interessantes de aventuras.

4 – Bestiários Humanos:

Não ria… é sério. Um livro cheio de NPCs humanos prontos para serem usados em suas aventuras. Donos de Tavernas, espiões, ladinos, prostitutas de várias raças, capitães da guarda, o velho sábio, o eremita, a professora esforçada, o clérigo de cidade pequena… E se isso não for bacana que tal algumas variações de NPCs em níveis diferentes: guerreiro protetor de vila nos níveis 1, 5, 10, 15 e épico… eu acharia bacana.

5 – Atualizações de conteúdo:

Uma das coisas que eu acho mais estranho é que bestiários não evoluem dentro do jogo. Não são atualizadas de acordo com novas regras ou mesmo com uma errata. Não custava tanto assim o povo da editora disponibilizar uma errata de página inteira que o leitor pudesse imprimir e colar sobre o livro que ele já tem.

6 – Ganchos de aventuras em cada criatura:

Sei que bons bestiários já são, por si sós, boas fontes de aventuras, mas não seria uma boa colocar alguns ganchos de aventura para cada monstrinho ali publicado? Maximizaria o efeito do livro, a meu ver.

7 – Ilustrações:

Ok, essa deve ser a maior pedra no sapato dos livros brasileiros, muito mais pelo custo do que por efetivamente falta de qualidade de nossos artistas. Não tenho ideia do orçamento envolvido num livro deste tipo, mas pela quantidade de desenhos reciclados que eu vejo soltos por aí deve ser mesmo muito caro colocar uma ilustração nova para cada criatura. Quem sabe lançar um artista novo e quem sabe, dividir com ele os lucros da publicação…

8 – Coerência:

Um livro de monstros fantásticos coerentes? Tá bom, parece que eu fumei alguma coisa não é? Mas não é assim tão complicado. Uma floresta ou pântano infestada de dragões verdes ou negros deve ter uma quantidade besta de comida para esses caras comerem, se não, por diabos eles estariam por lá? O pior é que eu vejo muitos monstros que servem apenas para dilapidar os pontos de vida dos jogadores.

Bom, era isso. Logo, logo tem mais.