Background: Ex-escravo para D&D 5e

Ex-escravo

“Eu não tenho recordações da minha vida anterior, da minha vida antes dessas marcas que cobrem todo o meu corpo. A minha primeira lembrança é a dor excruciante que senti ao recebê-las. O meu antigo mestre me chamava de pequeno tigre por conta dessas marcas que ele me fez. Hoje o tigre cresceu e está faminto por vingança”. – Fenris, Elfo Guerreiro, Ex-escravo.

 

Você passou toda ou boa parte de sua vida trabalhando como escravo para o benefício de outras pessoas. Você pode ter sido sequestrado e vendido como escravo, condenado por um crime especialmente cruel ou simplesmente ter nascido nesta condição. Seja lá como for hoje você é livre para se aventurar pelo mundo tendo comprado ou conquistado sua liberdade.

 

 

Proficiências:

Insight e Sobrevivência.

 

Ferramentas

Um conjunto de ferramentas de artesão relacionado à sua antiga profissão como escravo.

 

Idiomas

Uma linguagem bônus usada por seus antigos mestres.

 

Equipamento

Uma muda de roupas comuns, um conjunto de ferramentas de artesão, uma pequena bolsa contendo objetos sortidos como moedas e pedras semipreciosas num valor total de 10 moedas de ouro.

Customização

Escolha ou role na tabela abaixo para determinar sua antiga função como escravo.

Minerador.
Escravo doméstico.

Trabahador braçal.

Condutor de carruagem, pajem, ou treinador de animais.

Servo pessoal.

Guarda.

 

Características

 

Recurso: Se encaixando. Como um ex-escravo você conhece bem os meandros da vida nas casas grandes, nos castelos, nos templos e nos diversos locais e instituições. Você pode localizar instantaneamente a “entrada de empregados” e desde que seus colegas de grupo não estraguem tudo você pode negociar com facilidade a sua entrada nesses lugares. Você pode andar quase que livremente nesses lugares, agindo como se fosse um dos empregados do local.

 

Características Sugeridas

Escravos ou ex-escravos normalmente são pessoas com comportamento humilde e discreto, como se possuíssem uma aura de subserviência, mesmo anos após serem libertados. Um ex-escravo tende a obedecer autoridade, temer ou evitar aqueles com alto poder. Em contraste, alguns desenvolvem aversão por autoridade, desafiando abertamente ordens e comandos, não importando de quem elas venham.

 

Personalidade

  1. Eu tenho um olhar temeroso e sempre falo de forma apaziguadora e cordata. É difícil para mim impor a minha opinião.
  2. Minha experiência como escravo me deixou muito teimoso e resistente às ordens. Desobedecerei ordens e instruções sempre que eu puder.
  3. A vida institucionalizada como escravo foi a única que conheci. Sinto-me desconfortável em público, justamente pelo caos que é a liberdade e secretamente anseio pela vida ordeira que uma vez conheci.
  4. Eu conquistei minha liberdade e hoje sou uma pessoa livre. Felicidade é o meu novo sobrenome. Quero conhecer o mundo e descobrir tudo que existe.
  5. Agora que posso ter coisas que são só minhas, as guardo com muito zelo e avareza, justamente por ter medo que sejam tomadas de mim.
  6. Os anos como escravo me fizeram uma pessoa diplomática, sempre buscando soluções a partir do diálogo pra resolver problemas.

 

Ideal

  1. Vingança. Escravistas e pessoas que se aproveitam do trabalho escravo em enfurecem. Sou hostil e vingativo perante tais pessoas.
  2. Apesar da minha liberdade eu não tenho remorsos de minha vida passada. As regras eram um conforto nos tempos de cativeiro e leis são algo que recebo de braços abertos.
  3. Eu acredito que todas as pessoas devem ser livres, e eu farei de tudo para viver integralmente este ideal.
  4. Eu invejava o poder que meus antigos mestres tinham sobre mim e sobre os outros e desejo, secretamente, o mesmo tipo de poder para mim.
  5. Exaltação. Uma vez livre eu posso experimentar todos os prazeres do mundo – e eu faço com alegria e prazer.
  6. Apesar de hoje ser livre eu acredito que fui abençoado por isso. A maioria das outras pessoas deve nascer e viver nas suas calasses sociais, pois esse é o desejo dos deuses.

 

Elo

  1. Minha família, ou alguém que eu prezo muito morreu na escravidão. Terei minha vingança contra seus assassinos não importa o que aconteça.
  2. Minhas memórias de casa são apenas fragmentos distantes, mas prometi jamais voltar àquele lugar.
  3. Eu tenho uma grande dívida de gratidão com aqueles que me libertaram e farei de tudo para saldar essa dívida.
  4. Eu não fui libertado; eu fugi. Por hoje e por todos os dias que me restam de vida estarei sempre olhando por cima do meu ombro, esperando o momento de ser recapturado.
  5. Eu fui separado da minha família e hoje busco encontra-los.
  6. Meus antigos donos, apesar de tudo, me tratavam com humanidade e fizeram de mim o que sou hoje. Sou muito grato a eles.

 

Defeitos

  1. Não sou capaz de encarar pessoas de classe social maiores do que eu.
  2. Sou egoísta quando o assunto e comida. Anos de fome no cativeiro me deixaram assim.
  3. Se eu fui capaz de conquistar a minha liberdade, acredito que qualquer um possa fazer o mesmo. Não tenho respeito por pessoas que aceitam ser escravos na vida.
  4. Uma vez livre eu trato escravos como seres inferiores. Não posso evitar. Talvez eu sempre tive essa fome por poder.
  5. Eu sou um covarde e sempre vou tentar fugir de situações que me coloquem em risco de vida.
  6. Eu aprendi a mentir como forma de escapar de situações que me colocariam em encrenca. Mentir se tornou um hábito para mim, mesmo quando não é necessário. Eu sempre tendo a enganar os outros sobre as coisas que eu faço ou deixo de fazer.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: